terça-feira, 2 de agosto de 2016

Chegou agosto, o mês das vocações!

Chegou agosto, o mês das vocações!
 “Misericordiosos como o Pai” (cf. Lc 6, 36) é o tema para o Mês Vocacional 2016.
7 de agosto – vocação ministério ordenado: diáconos, padres e bispos;
14 de agosto – vocação matrimonial;
21 de agosto – vocação à vida consagrada;
28 de agosto – vocação dos leigos.
Rezemos por todos os chamados de Deus!

quarta-feira, 18 de maio de 2016

22 de maio - Santíssima Trindade

Na celebração da Santíssima Trindade reconhecemos a plenitude do mistério de Deus. 
O Pai que enviou o Filho e com Ele nos enviou o Espírito Santo, é agora adorado e glorificado em sua grande manifestação de comunhão e de amor fazendo-nos participar de sua intimidade divina.


segunda-feira, 25 de abril de 2016

Milagres Acontecem (Padre Zezinho)

Quando a força de um amor
não basta pra fazer você sorrir

Quando a força de uma fé
não basta pra fazer você feliz

Quando a dor da solidão, doi tanto e tanto
que você já não consegue nem pensar

Procure a oração
Procure a oração
Procure a oração
Procure a oração

Quando a força da canção
não basta pra fazer você cantar

Quando a força da emoção
não basta pra fazer você chorar

Quando a dor da solidão, doi tanto e tanto
que você já não consegue nem sonhar

Procure a oração
Procure a oração
Procure a oração
Procure a oração

Quando a dor de uma paixão
Algum momento mais cruel
Algum amor que não deu certo
Ameaçar seu coração

Procure a oração
Procure a oração

Milagres acontecem
Quando a gente reza e reza sem desanimar

E a paz é dos milagres, o milagre mais bonito que se possa desejar

Milhares de pessoas encontraram a resposta no momento de oração
Milagres acontecem quando pomos de joelho, o coração


segunda-feira, 21 de março de 2016

Semana Santa

A Semana Santa, também conhecida como "Grande Semana", ou "Semana Maior", é a última semana da Quaresma, que é o tempo de preparação para a celebração do Mistério Pascal, paixão, morte e ressurreição, de Jesus Cristo. 

A Semana Santa tem início com a celebração do Domingo de Ramos e termina com a celebração da Santa Missa Crismal, também conhecida como Missa dos Santos Óleos. 

Toda a riqueza de símbolos e profundidade teológica na liturgia da Semana Santa prepara os fiéis para viver o Mistério Pascal de Cristo, que é celebrado no "Tríduo Pascal", do qual fazem parte a Santa Missa da Ceia do Senhor, na Quinta-feira, as funções da Sexta-feira da Paixão, o Sábado Santo, a Vigília Pascal, segundo Santo Agostinho a mãe de todas as vigílias, e o Domingo de Páscoa, ou da Ressurreição. 

Toda a Quaresma, da qual faz parte a Semana Santa, tem como finalidade a preparação para a celebração da Páscoa do Senhor, do Domingo da Ressurreição de Jesus Cristo, que se estende por todo o Tempo Pascal e termina com a Celebração da Solenidade de Pentecostes. 

Estes cinquenta dias, desde a Domingo da Ressurreição, até o Pentecostes, também conhecidos como Quinquagésima Pascal, são comemorados como um único dia de celebração da Páscoa do Senhor Jesus Cristo.

domingo, 20 de março de 2016

20 de março - Domingo de Ramos


Com o Domingo de Ramos, iniciamos a Semana Santa.

A entrada triunfal de Jesus em Jerusalém marca o fim daquilo que Jerusalém representava para o Antigo Testamento e assinala o início da nova Jerusalém, a Igreja, que se estenderá por todo o mundo como um sinal universal da futura redenção.

Na Igreja primitiva a celebração desse domingo focalizava aspectos diferentes: Em Roma, o tema central era a Paixão do Senhor; em Jerusalém, era a Entrada triunfal de Jesus, destacando a Procissão dos ramos.

Atualmente, as duas tradições se integram numa única celebração. Por isso, a celebração começa com o rito da bênção dos ramos, a leitura da entrada triunfal de Jesus em Jerusalém e a procissão. Termina com a celebração da Eucaristia, com a proclamação da Paixão. Na 1ª parte, nos unimos ao Povo de Jerusalém. A 2ª parte nos introduz na SEMANA SANTA.

Levamos hoje para casa RAMOS BENTOS, como lembrança dessa celebração. 
Não devem ser vistos como algo folclórico, como amuletos da sorte, mas algo sagrado, que levamos para casa como um SINAL visível do compromisso assumido de seguir Jesus no caminho ao Pai.

A presença dos ramos em nossos lares deve ser uma lembrança de que hoje aclamamos a Jesus, como nosso Rei, e que desejamos aclamá-lo durante toda a nossa vida, como nosso Salvador. (B N AGUAS)